Atividade Física e Promoção de Saúde

0

Fabiana Guedes  e Luzimar Teixeira

http://4.bp.blogspot.com/_X_ydVd9XMkg/TSIMoSH_AVI/AAAAAAAAAKw/uKzaDe63tMQ/s1600/professor-de-educacao-fisica.jpg
Crianças jogando bola

A promoção de um estilo de vida mais ativo e uma alimentação saudável tem sido utilizada como estratégia para desenvolver melhora nos padrões de saúde e qualidade de vida na população.

Atualmente temos observado uma baixa prevalência de prática de atividade física, principalmente no tempo de lazer. Este fato está associado com o aumento do risco de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão, diabetes tipo 2, síndrome metabólica, doença coronariana e acidente vascular cerebral.

A morbimortalidade associada às doenças crônicas poderia ser reduzida com a prevenção, incluindo mudanças no estilo de vida, principalmente na dieta e atividade física (McGinnis, et .al,  1993).

A prevenção primária torna-se então uma medida necessária para ser incorporada nos programas de saúde, que tenham como objetivo a melhoria na qualidade de vida e diminuição de gastos com assistência médico/hospitalar.

Estudos têm mostrado que a atividade física pode cumprir um importante papel preventivo e terapêutico e deve, portanto, ser parte integrante das práticas terapêuticas em saúde (Lee et.al.1992; Shepard,1995).

Essa relevância quanto ao papel preventivo da atividade física em relação a diferentes populações e aos profissionais de saúde que trabalham na atenção básica cresce com o aumento da expectativa de vida, da proporção de idosos na população e da prevalência de doenças crônicas (Monteiro, 2006).

Desta forma, cresce a importância da atividade dos profissionais da Educação Física na rede básica de saúde para educar e orientar à prática de atividade física, modificando e melhorando o comportamento da população  em relação a um estilo de vida saudável.

Referências Bibliográficas

McGinnis JM, Foege WH. Actual causes of death in the United States. JAMA 1993;270:2207-12.

Monteiro CA, Conde WL, Matsudo SM, Matsudo VR, Bonseñor IM, Lotufo PA. A descriptive epidemiology of leisure-time physical activity in Brazil, 1996-1997. Rev Panam Salud Pública 2003; 14:246-54.

Shepard RJ. Physical activity, fitness and health:the current consensus. Quest 1995; 47:228-303.

Categories: Qualidade de Vida

Leave A Reply


*