Deficiência Intelectual e Um Plano de Aula

0

Milena Dutra

DM
Menino com Síndrome de Down

As pessoas com deficiência intelectual, são aquelas que se diferem por: suas características mentais, suas capacidades sensoriais, suas características neuromotoras ou físicas, seu comportamento social, suas capacidades de comunicação e suas deficiências. Essas diferenças devem ser notadas a ponto de demandar uma modificação nas práticas pedagógicas para possibilitar o desenvolvimento do sujeito, potencializando suas capacidades.

Caracterização:

Deficientes intelectuais  leves

Aprendizagem lenta;

Capacidade de dominar habilidades acadêmicas básicas;

Capacidade de adaptação social e pessoa;

Capacidade de freqüentar escola comum em classes especiail ou regular.

Deficientes intelectuais  Moderados

Atraso significativo na aprendizagem;

Distúrbios psicomotores visíveis;

Adaptação a programas sistematizados;

Capacidade de formar hábitos higiênicos de rotina;

Capacidade de ajustamento satisfatório em relação à família, à escola e à comunidade.

Deficientes intelectuais  Severos

Acentuado prejuízo na comunicação;

Acentuado prejuízo na mobilidade;

Alcance de resultados no trabalho condicionado e repetitivo, com supervisão e ajuda constantes.

Deficientes intelectuais  Profundos

Dependência completa;

Limitações extremamente acentuadas na aprendizagem.

A pessoa portadora de deficiência mental é um indivíduo que pode:

Ser alfabetizada, embora possua um grau de inteligência abaixo da média. Por isso deve seguir um programa curricular adaptado as sua condições pessoais;

Ajustar-se socialmente;

Realizar tarefas simples e algumas até mais complexas;

Praticar atividades psicomotoras, com certo grau de desempenho e até participar de atividades esportivas, se estas estiverem adaptadas aos seus níveis e limitações.

Tipos de defasagens

Psicomotoras

Lentidão na marcha;

Gestos e posturas inadequados;

Deficiência na coordenação de movimentos globais e finos;

Distúrbios de equilíbrio;

Distúrbios na relação espaço – temporal;

Deficiência ventilatória – funcional.

Afetivos-Sociais

Baixa resposta frente a eventos sociais;

Desconhecimento das limitações e possibilidades;

Desajuste em atividades em grandes grupos;

Demonstração de reações emocionais ao ser solicitado individuais ou em grupo.

Cognitivas

Atenção dirigida limitada;

Limitações de aprendizagem espontânea;

Memória falha nas questões espaciais e temporais;

Lentidão para aquisição de fala;

Distúrbios na aquisição de imagem corporal.

Conceitos Fundamentais para a intervenção :

Normalização

Implica garantir vida a mais normal possível para a pessoa portadora de deficiência, proporcionando-lhe  oportunidades humanas, que não se distanciem de sua realidade, possibilitando-lhe condições de estar mais pronto para o exercício da vida diária. Implica tratamento normal, que não significa desconhecimento de suas limitações e impedimentos, proporcionados pela deficiência.

Integração

Significa igualdade de oportunidade, de poder tomar partes nas mesmas oportunidades oferecidas por sua comunidade e que venham a oferecer seu desenvolvimento e aprendizado.

Individualização

Significa o exercício do conhecimento particular de cada indivíduo, garantindo-lhe melhores condições para adaptar-se ao grupos, que se constituiem da sua escola, da sua comunidade, etc. Cada pessoa necessita de uma solução individual, embora isso não represente atendimento individual, mas sim garantir-lhe condições de aprendizado compatíveis com sua individualidade.

Relacionamento :

A insegurança em lidar com PDM´s denota mais um aspecto de desinformação, do que de ocorrência de dificuldades nas relações com elas.

Perfil do Professor

O professor deve ser:

– Seguro; Estimulador; Versátil; Persiste, Comunicativo e Paciente.

O professor deve ter:

–  Rapidez de raciocínio, bom senso, atenção, auto-domínio, resistência à rotina e capacidade de observação

Diretrizes para Exercícios:

Passar a informação do exercício de modo que possa ser assimilada com facilidade

Incluir estratégias para evitar distrações e promover motivação

Promover aprendizado de tarefas simples e progredir para complexas

Realizar repetição do ato constantemente – Princípio da aprendizagem motora

Ao mudar a tarefa sempre parta de algo de base já aprendido

Busque sempre conhecimentos a cerca da patologia, conheça seu aluno, oriente os pais ou cuidadores, realize seu trabalho de forma consciente e com amor.

Categories: Deficiência Mental

Leave A Reply


*