Dicas de Inglês

0

Até o início das
aulas estarei aqui no blog do prof. Luzimar dando dicas e sanando dúvidas. O
primeiro tópico que vou abordar é o da formação das palavras, ou seja, da
prefixação e sufixação das palavras. Em outras palavras, aquilo que colocamos
antes ou depois das palavras para conjugá-las, concordá-las ou transformá-las
para que tenham uma função diferente dentro do texto. Familiarizar-se com os
prefixos e sufixos mais comuns e acostumar-se a desmontar as palavras permite,
não só entender um texto mais acuradamente, mas também a descobrir o
significado de palavras que julgávamos desconhecidas. Escolhi um excerto
inicial de um texto disponível aqui no site na pasta Postura para exemplificar
o que estou falando:

 

“Objective: To systematically review the peerreviewed literature about the reliability and validity of chiropractic tests
used to determine
the need for spinal
manipulative
therapy of the lumbo-pelvic spine, taking into account the quality of the studies.                        

Data Sources: The CHIROLARS database was
searched for the
years 1976 to 1995 with the following index terms: “chiropractic tests,” “chiropractic adjusting technique,” “motion palpation,” “movement palpation,” “leg length,”
“applied
kinesiology,” and “sacrooccipital technique.”(…) (
HESTBOEK, Lise DC, and LEBOEUF-YDE, Charlotte DC, MPH, PhDb.” Are Chiropractic Tests for
the Lumbo-Pelvic Spine Reliable and Valid? A Systematic Critical Literature
Review,
in Journal of
Manipulative and Physiological Therapeutics Volume 23 • Number 4 • May 2000,
p.258)

 

No ínicio do parágrafo já
temos um exemplo: sistematically = sistematicamente, o sufixo ‘ly’
comumente substituído pelo sufixo 
‘mente’  em português, tem por
objetivo dar à palavra a função de advérbio de modo, ou seja,  sistematically = sistematicamente=de forma
sistemática. Outro exemplo similar: “I
examined the subject thoroughly
.” = Eu examinei o assunto
completamente/minuciosamente/de forma minuciosa.

Logo em seguida no texto
temos na verdade uma junção de palavras, uma prefixação e uma sufixação. Desmontando:
peerreviewed = peer+re+view+ed.

A palavra peer =colega, junta-se à palavra view = vista, que está prefixada por
‘re’ com igual equivalente em português, significando o fazer repetido de um
ato. O sufixo ‘ed’ presente na palavra na verdade se trata da conjugação no
passado simples de um verbo regular que não tem equivalente exato em português
mas que muitas vezes pode ser traduzido como os sufixos ‘ado’, ‘edo’, ‘ido’. No
caso, a palavra é traduzida como ‘revisado por colegas’.

Logo em seguida no texto
temos dois exemplos do sufixo ‘ity’ cuja equivalência no português na maioria
dos casos é com o sufixo ‘dade’, ou seja, estamos falando da coisa em si,
estamos transformando a palavra(adjetivos) em um substantivo, na qualidade em
si.

Exemplificando: ‘Reliable = confiável; reliability = confiabilidade

                           Valid =
válido; validity = validade

Posteriormente temos outro
exemplo da conjugação no passado simples com o uso do ‘ed’ em used e depois o sufixo ‘al’ em spinal, que transforma a palavra spine em adjetivo da mesma forma
que: critic= crítica (substantivo); practice = prática(subs)

                 Critical = crítico (adjetivo)
; practical = prático(adj)

No entanto, no caso da
palavra spine = espinha tal transição
é feita com a adição da partícula ‘da’ significando que é ‘proveniente
de/relativo à’ espinha.

Já o sufixo ‘ive’ em manipulative, pode ser traduzido como os sufixos ‘ivo’
e ‘iva’ em português. É o caso de um sufixo que transforma um verbo, manipulate, em um adjetivo, manipulative = manipulativa (concordando com a palavra terapia=therapy). O
‘ing’ é outro sufixo que serve para conjugar os verbos, ele possui outras
funções discutidas brevemente em post anterior, mas, em grande parte dos casos,
ele é traduzido como os sufixos do gerúndio, ‘ando’, ‘endo’, ‘indo’, porém não
é o caso de taking = tomando e nem da palavra following usada
antes no texto, o ‘ing’ é usado aqui de outra forma, ao ‘substantivar’ um
verbo, em outras palavras, transforma a ação na coisa em si. Para saber quando
estamos falando do uso do gerúndio ou de outra forma do ‘ing’, temos que
observar a presença ou ausência do verb
to be
antes do verbo principal. Exemplificando:

He is following me =
Ele está me seguindo (verb to be =
gerúndio)

The following text is
important = O texto seguinte é importante ( ausência de verb to be =
substantivo ou adjetivo)

Seguidamente vemos o sufixo
‘ion’ sendo usado em motion palpitation, e para não haver erro
temos que observar a formação das frases.

As frases seguem a fórmula:
sujeito+verbo+objeto; na maioria dos casos, com exceções de cunho estilístico
que não convém discutirmos agora. Na ausência de um verbo entre dois
substantivos podemos seguramente presumir que se trata de um substantivo
adjetivando o outro, sendo que em inglês os adjetivos vêm antes do objeto, ao contrário
de como é na maioria dos casos em português. Voltando ao sufixo ‘ion’; ele pode
ser substituído em grande parte dos casos pelo sufixo ‘ção’ em português, e
muito provavelmente o seria para ambas as palavras se motion não estivesse aqui funcionando como um adjetivo. Sendo assim,
ao invés de ‘palpitação movimentação’ temos ‘palpitação de movimento’. Um aluno
de inglês poderia estranhar, pois, movimento é traduzido para o inglês como movement na maioria dos casos, no
entanto se tratam apenas de sinônimos dado o contexto. Em seguida no texto
temos apenas o uso de sufixos que já foram vistos aqui.

Longe de examinar
exaustivamente, essa foi só uma das técnicas usadas do inglês instrumental que
nos permite ler e compreender um texto que inicialmente nos parecia mais
complexo do que nossos conhecimentos sobre a língua. Estou aberto a dúvidas e
semana que vem vou me focar nos prefixos mais comuns na língua inglesa.
Informações sobre meus cursos na UGF em que ensinarei essas e outras técnicas
estão em:

http://www.posugf.com.br/cursos/extensao/129-ingles

Outras dúvidas me contatem
via site ou pelo fernandort1986@gmail.com.

Figura: http://promocaovirtual.com/wp-content/uploads/2011/03/ingles.jpg

Categories: Qualidade de Vida

Leave A Reply


*