Fibromialgia

0

Milena Dutra

Fibromialgia

A Fibromialgia pertence ao grupo das síndromes de dor musculo-esquelética idiopática difusa.

O que é?

A Fibromialgia é caracterizada por dor musculo-esquelética generalizada e prolongada, rigidez nos tecidos moles (músculos e tendões), e fadiga intensa.

É uma doença comum?

A Fibromialgia surge principalmente em adultos, ocorrendo raramente em crianças, e nestes casos predomina em adolescentes.

As mulheres são afetadas mais frequentemente que os homens. As crianças com esta doença compartilham muitas características com as que sofrem da síndrome de dor musculo-esquelética idiopática (idiopática significa causa indefinida).

Quais são os sintomas principais?

Os pacientes queixam-se de dor difusa e generalizada por todo o corpo. A intensidade da dor é subjetiva. A dor acomete ambos os lados do corpo, e nas extremidades superiores e inferiores dos membros.

O sono é irregular e, pela manhã, os pacientes têm a impressão de despertar de um sono não reparador, ou seja a pessoa acorda cansada.

Outra queixa importante é a de fadiga intensa, acompanhada pela diminuição de capacidade física.

Os pacientes relatam frequentemente queixas generalizadas, como dores de cabeça, uma sensação de inchaço dos membros (apenas a sensação pois o inchaço não é observadp de fato), e entorpecimento. Estes sintomas causam ansiedade, depressão, e muitas faltas à escola.

Como é diagnosticada?

A presença de dor generalizada em 4 áreas de corpo, durando mais de 3 meses, em conjunto com dor à palpação em 11 de 18 pontos sensíveis verificados no exame clinico, são as características que permitem o diagnostico.

Os pontos sensíveis são identificados pelo médico e mensuráveis por pressão do dedo polegar, o que é tão eficaz como o “dolorímetro”, um instrumento especial que avalia a dor por meio de compressão dos pontos sensíveis.

Qual é o tratamento?

Um objetivo importante é a diminuição da ansiedade produzida pela doença, explicando ao paciente e família que, embora a dor seja intensa e real, não há lesão nas articulações, nem uma doença física séria.

A terapia é determinada por uma abordagem multidisciplinar (equipe com especialistas em áreas diferentes), e baseia-se numa intervenção tendo em vista 3 objetivos distintos:
O primeiro é mais importante, consiste em iniciar um programa de treinamento cardiovascular progressivo, sendo o melhor exercício a natação e hidroginástica. O s exercícios aeróbicos como caminhada e os de fotalecimento geral, assim como os alongamentos também são muito indicados. O segundo objetivo é começar uma psicoterapia de apoio individualmente ou em um grupo.
Finalmente, alguns pacientes podem precisar de medicamentos, para restabelecer o sono. O uso de uma almofada especial, que mantém o apoio do pescoço durante o sono, pode ajudar.

A recuperação não é fácil, sendo necessário empenho do doente e um grande apoio da família.

Leave A Reply


*