Hiperlordose Lombar

0

http://2.bp.blogspot.com/_aCzFDkp_2E4/TH-_Wh_-V3I/AAAAAAAAADI/n4EWbb_QDrU/s1600/colunasagital.jpg
Vista lateral da coluna vertebral: lordose cervical, cifose toracica, lordose lombar e cifose sacral

A coluna vertebral apresenta suas curvas fisiológicas, as quais podem ser observadas em uma vista lateral:  lordose cervical, cifose torácica , lordose lombar e cifose sacral.  A acentuação da lordose lombar é conhecida como hiperlordose lombar. Pesquisas ratificam que a anteroversão da pelve (projetar o ´´umbigo ´´para frente) esta associada a um desequilíbrio nos músculos abdominais e glúteos, que estão enfraquecidos e também os músculos da região lombar e flexores do quadril que apresentam-se encurtados.

http://www.herniadedisco.com.br/wp-content/uploads/2008/07/lordosis-1.jpg
Hiperlordose

Cerca de 80% da população mundial sente dor lombar em algum momento de suas vidas, em sua maioria pelos fatos descritos anteriormente.

Os métodos empregados na correção postural da hiperlordose lombar, em suma está no fortalecimento do músculos abdominais, glúteos e paravertebrais, exercícios para mobilidade do quadril, além do aumento da flexibilidade dos músculos posteriores da coxa. É importante salientar a qualidade do exercício, que deve ser conduzido por um profissional de educação física ou fisioterapia, para que você tenha um resultado fidedigno.

Porém, o raciocínio de correção se diferencia segundo alguns autores. Para Tribastone (2001) e Kendall (2005), seguir os princípios da inibição recíproca, alongando o que esta encurtado e fortalecendo o que esta fraco já é suficiente para a correção.

Lembre-se que uma curva estrutural é impossível de correção completa, a estruturação de uma curva acontece com o fechamento das epífises de crescimento, por volta dos 18 anos de idade, com isso a imaturidade esquelética é fator importantíssimo para que uma alteração angular de coluna possa ter sua resolução total.

Kisner (2005) e Matos (2010), mostram que um músculo encurtado não necessariamente esteja forte, com isso faz-se necessário a manutenção de força desta musculatura, porém a ênfase do fortalecimento será direcionada a musculatura mais fraca que neste caso é o abdômen e glúteos com  incremento da intensidade nestes segmentos e os alongamentos devem ser feitos bilateralmente.

Vanícola e Teixeira (2008), seguem a conduta descrita anteriormente porém iniciam com os alongamentos, seguem com mobilidade articular, pois acreditam que a mobilidade restaurada facilita a ADM a qual favorece o treinamento de força que vem a seguir.

Eu, Milena Dutra particularmente sigo o protocolo de Vanícola e Teixeira. Diferenças entre os 3 grupos de autores ainda não está descrita na literatura.

Mas,  mesmo para indivíduos com curva já estruturada a aplicação dos exercícios mostram uma manutenção e em alguns casos atenuação da curva. Prevenir a progressão é fundamental.

Milena

Leave A Reply


*