Redução dos fatores de risco

0

Clóvis Sousa

Componente 2: Redução dos fatores de risco

A cessação do tabagismo é a única medida mais efetiva – e com melhor custo-efetividade – para reduzir o risco de manifestação da DPOC e retardar sua progressão.

Mesmo um período de 3 minutos de aconselhamento a fim de incentivar a cessação do fumo pode ser efetivo e, no mínimo, isso deveria ser feito com todos os fumantes a cada visita ao profissional da saúde. Estratégias mais intensivas aumentam a probabilidade de um abandono sustentável. A recomendação, segundo a Iniciativa Global para a doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (2008), do inglês, Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD), é a utilização da estratégia abaixo para ajudar o aluno/paciente a parar de fumar.

– ARGÜA: Identifique sistematicamente todos os usuários de tabaco a cada visita. Implemente um sistema para que se possa certificar que para CADA aluno/paciente a CADA visita a condição de uso de tabaco seja examinada e documentada.
– ACONSELHE: Aconselhe fortemente todos os usuários de tabaco a pararem de fumar. De uma maneira clara, forte e personalizada, aconselhe todo os usuários de tabaco a pararem de fumar.
– AVALIE: Avalie a disposição para se fazer uma tentativa de abandono do vício. Pergunte a todos os usuários de tabaco se eles ou elas estão dispostos a fazerem uma tentativa de parar de fumar neste período (ex: dentro dos próximos 30 dias).
– AUXILIE: Ajude o paciente a parar de fumar. Auxilie o paciente com um plano de cessação; forneça conselho prático; forneça apoio social intra-tratamento; ajude o paciente a obter apoio social extra-tratamento; forneça materiais suplementares e indicação médica especializada para receitar farmacoterapia.
– ACOMPANHE: Organize o acompanhamento. Organize o acompanhamento, tanto pessoalmente quanto via telefone.

O tratamento farmacológico (reposição de nicotina e/ou bupropiona) é recomendado quando o aconselhamento não é suficiente para ajudar os pacientes a pararem de fumar. Consideração especial deve ser feita antes de usar o tratamento farmacológico em pessoas que fumam menos de 10 cigarros por dia, mulheres grávidas, adolescentes e aqueles com contra-indicações médicas (doença arterial coronariana instável, úlcera péptica não-tratada, recente infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral devido à reposição de nicotina e história de convulsões causadas por bupropiona).

Prevenção do fumo: Incentive políticas e programas amplos de controle do tabaco com mensagens claras, consistentes e repetidas contra o fumo. Trabalhe com representantes do governo para a aprovação de legislação que institua escolas, dependências públicas e ambientes de trabalho livres do fumo e incentive os pacientes a manterem seus domicílios livres do mesmo.

Exposições ocupacionais: Enfatize a prevenção primária, que é melhor alcançada pela eliminação ou redução de exposições às várias substâncias no local de trabalho. A prevenção secundária, alcançada por meio de supervisão e descoberta precoce, também é importante.

Poluição do ar domiciliar e extradomiciliar: Implemente medidas que reduzam ou evitem a poluição do ar domiciliar provenientemente da combustão de biomassa utilizada para cozinhar e aquecer residências pouco ventiladas. Aconselhe os pacientes a observarem anúncios públicos de qualidade do ar e, dependendo da gravidade de suas doenças, a evitarem exercícios vigorosos ao ar livre ou a permanecerem em casa durante episódios de poluição.

No próximo post falaremos sobre o Componente 3: Conduta na DPOC estável.

Categories: DPOC

Leave A Reply


*